• Daniel Gasnier

Framework SIO


Após o recente lançamento do Manual SIO, aumentaram as consultas de leitores interessados ou curiosos sobre algumas novas definições, entre as quais, sobre o Framework SIO, perguntando de que se tratam estas novidades?

Hora de esclarecermos...

Em inglês, framework é a estrutura ou moldura de um quadro, mas o termo também pode ser empregado com o significado de um conjunto ou universo de elementos que possuem algo razoavelmente grande em comum, isto é, pertencem a um mesmo domínio de um problema.

A sigla SIO já definimos em oportunidades anteriores como o acrônimo de Service and Inventory Optimization, ou seja, se trata de uma abordagem para Otimização dos Atendimentos e dos Estoques. Temos pesquisado, desenvolvido e publicado diversos conceitos, técnicas e ferramentas sobre este tema, como resultado de inúmeros projetos realizados em nossos clientes.

Em síntese, portanto, o framework SIO integra conceitos, técnicas e ferramentas avançadas para Otimização da gestão de Atendimentos e Estoques, com a finalidade de resolver um paradoxo logístico: Ter o que não precisa e não ter justamente aquilo que precisa.

Componentes do Framework SIO

1) Manual SIO: É a referência bibliografica que compila todos os elementos desta moderna abordagem. Foi publicada pela editora MAG em Janeiro/2017 e é distribuída com exclusividade pela revista Mundo Logística. Saiba mais ou adquira seu exemplar através deste LINK.

2) Pesquisa SIO: Na sua terceira edição, esta pesquisa esta apurando e compilando o estado da arte na gestão de estoques no Brasil. O que os analistas estão usando? Quais os resultados? Quais são os incômodos? Quem participar da pesquisa (gratuita), além de ganhar um livro em casa, receberá os resultados em primeira mão assim que estes dados forem compilados. Participe através deste LINK.

3) Metodologia SIO: A abordagem SIO é composta de uma sequência de passos idealizados para analisar e compreender detalhadamente cada aspecto relevante da gestão de estoques, possibilitando identificar os problemas e suas causas, de modo a encaminharmos uma solução integrada e efetiva.

4) Malha logística: Trata-se de um esquema completo (mapeamento fisico) do sistema produtivo (recursos e capacidades) e do fluxo atual (AS-IS) dos materiais, desde o inbound (matérias-primas), atravessando as operações logísticas e industriais (material em elaboração), e terminando no outbound dos produtos acabados.

A Malha logística é, via-de regra, o primeiro instrumento da metodologia, e seus principais benefícios são:

  • Possibilita VISUALIZAR de forma holística (holos = todo) o fluxo de materiais.

  • Possibilita identificar relacionamentos entre os processos (dependências).

  • Possibilita identificar as restrições e gargalos destes processos.

  • Possibilita identificar os problemas, intercorrências, anomalias e riscos.

  • Possibilita identificar as posições estratégicas para estoques e buffers.

  • Possibilita COMPREENDER os fluxos e a sua sincronização (ou falta desta).

  • Possibilita um MAPEAMENTO para COMUNICAR aos interessados como funciona o processo

  • Possibilita subsídios relevantes para MODELAR um novo sistema de gestão (PCP/MRP/etc..).

  • Possibilita dispor dos subsídios relevantes para avaliar as propostas de melhorias, visando sanear as fraquezas e OTIMIZAR o desempenho do sistema produtivo e logístico da empresa (esta ação deve minimizar perdas, reduzindo custos e então OTIMIZAR PRODUTIVIDADE e RESULTADOS).

  • Possibilita os subsídios para desenhar o modelo futuro (TO-BE).

Esta malha logística é fundamental, pois nos permite alcançar:

  • Concordância com relação aos Problemas: Foco, alinhamento e consenso sobre a causa-raiz dos problemas.

  • Concordância com relação ao direcionamento da solução: As propostas serão facilmente identificadas.

  • Concordância de que a solução resolverá o problema: As propostas poderão ser validadas como efetivas.

  • Conforto de que a solução não trará outros efeitos indesejáveis (sintomas colaterais).

  • Conforto de que a solução é viável, isto é, pratica, pragmática, simples e efetiva.

5) Conceitos inovadores: Diversos elementos do framework SIO são apresentados e explorados no Manual SIO, tais como:

  • Manual PDM;

  • Acurácia logística;

  • Exposição à ruptura;

  • Nível excedente;

  • TMEA (Tempo Médio Entre Apanhes);

  • TMER (Tempo Médio Entre Reposições);

  • Off-sets SIO;

  • Árvore de encaminhamentos;

  • Mecanismos para intervenção manual dos analistas.

Estes conceitos são definidos no Manual SIO e aplicados em nossos projetos e cursos.

6) Clínica SIO: Quando contratados para otimizarmos a Gestão do Atendimento e Estoques de uma empresa, conduzimos um processo sistemático de avaliação em cinco dias, orientado por um roteiro de questões criticas e analises quantitativas que conduzem os gestores e analistas em um processo de compreensão das oportunidades e aperfeiçoamentos dos modelos de gestão.

7) Taxonomias: Propomos não apenas o clássico critério de classificação ABC, mas ampliamos as perspectivas acrescentando inúmeros critérios complementares, tais como a classificação de popularidade (PQR) e de abrangência (UVW) {entre outras}, produzindo os Mapas taxonomicos.

8) Ontologias: Não basta classificar. A Abordagem SIO se vale de políticas, estratégias, táticas, regras e procedimentos para otimização dos atendimentos e estoques.

9) Movigramas: Ao longo do tempo, todos os elementos da abordagem SIO se revelaram críticos e relevantes (os irrelevantes já foram excluídos).

No entanto, a ferramenta mais visual e marcante ainda é este diagrama de movimentações (transações de entradas, saídas e saldos subsequentes) que inventamos há 25 anos, pois possibilita interpretarmos o quanto adequado (ou não) esta o dimensionamento dos estoques.

10) Galeria SIO: Cada movigrama pode ser uma combinação de diversos "padrões". A galeria auxilia o analista, pois é composta dos diversos perfis típicos de modo a facilitar a interpretação dos tipos de demandas, ofertas e saldos {para saber mais, consulte o Manual SIO}.

11) Notas de avaliação SIO: Evoluímos da interpretação subjetiva dos movigramas para o estágio de quantificação objetiva do desempenho da gestão de cada item (SKU) e local (depósito).

12) Planilha SDS: A elaboração dos movigramas pode ser realizada em uma simples planilha MS-Excel ou equivalente. Alias, em nossos treinamentos entregamos um template pronto para uso, e quem adquire o livro neste LINK receberá um template gratuito.

13) Painel SIO: A versão SDS no MS-Excel tem seus méritos e suas vantagens. No entanto, reconhecemos que deixa a desejar em algumas funcionalidades estatísticas e visuais.

Foi por esta razão que aperfeiçoamos o método, desenvolvendo a aplicação Dashboard SIO em R, capaz de oferecer uma analise ainda mais elaborada, tudo em uma única pagina A3. O pessoal tem se encantado com esta nova versão do Movigrama SIO, que praticamente aposentou a planilha SDS em alguns casos.

14) Simulação SIO: Ambas as versões acima (SDS e Dashboard), possibilitam a simulação do saldo (what if) caso estivessemos praticando os paramentos de gestão calculados pelo metodologia SIO. Esta tecnica permite avaliarmos a aderência dos modelos na realidade da empresa, realizando ajustes sempre que requeridos.

15) SIO Panorama: Esta aplicação da classe SIO é a maior revolução da nossa abordagem, resolvendo as limitações que antes enfrentávamos na implementação nas empresas, pois facilitamos a integração com quaisquer sistemas ERP.

Trata-se de uma aplicação open-source desenvolvida em R para regulação dinâmica dos estoques, que gera mais de 50 estatísticas descritivas, parâmetros de gestão e diversos gráficos, entre os quais: Taxonomia SIO, Indeep SIO, Assinaturas SIO e Panorama SIO. Saiba mais neste LINK.

16) ForecastG4: O SIO Panorama serve muito bem quando a estratégia é PUXAR (pull) a reposição de Demandas Independentes (por exemplo, para itens MRO, como num hospital).

O que fazer, por outro lado, se temos itens dependentes EMPURRADOS (push) por previsão e MRP? Neste caso, desenvolvemos outra solução chamada ForecastG4 {e em breve uma nova versão chamada Forecast SIO}, capaz de processar forecast dinamico com inumeros modelos avançados, inclusive com código aberto (open source), oferecida a um valor viável.

Saiba mais neste LINK.

17) Infraestrutura e Capacitação: Para desenvolver a abordagem SIO, no entanto, alguns pré-requisitos são fundamentais, tais como MDM, Acurácia logística e Capacitação técnica dos analistas e gestores. Oferecemos diversos cursos neste sentido, entre os quais destacamos:

18) Integração S&OP + SIO: Para Otimizar o desempenho Global, é preciso Intervir no Local. A Gestão de Estoques 3D implica granulometria de cada SKU, cada Local (depósito) e cada transação. Naturalmente, esta programação e sequenciamento fino precisa estar alinhado com o Planejamento mestre dos processos de Sales and Operations Planning. Na realidade, fomos alem e já integramos a abordagem SIO com as mais modernas e melhores praticas de IBO (Integrated Business Optimization).

19) Eventos de atualização: Alem dos treinamentos mencionados acima, enriquecemos o conteúdo como frequentes atualizações, através de palestras e encontros CIE SIO gratuitos, e workshops pagos, bem como serviços de consultoria técnica in-loco, para aplicações específicas.

20) Comunidade de Interesses específicos SIO em Gestão de Estoques e Previsão de demanda, incluindo blog (novidades) e fórum gratuito para consultas e debates neste site: www.DanielGasnier.com.

#Estoques #ForecastG4 #SOP #Planejamento #Gestaodeestoques #Ontologia #SIO #Movigrama #Estatisticas

ESPECIALISTAS EM OTIMIZAÇÃO
© 2020 www.DanielGasnier.com
São Paulo - Atendemos em todo Brasil.